Inicial > Filmes > Correção de comportamento em “A Ilha: Prisão Sem Grades”

Correção de comportamento em “A Ilha: Prisão Sem Grades”

Algumas pessoas lidam com pressão melhor do que as outras. Alguns pais não entendem seus filhos. Alguns filhos não entendem a sociedade em que vivem. A sociedade pressiona. E assim por diante em um ciclo vicioso que culmina em uma questão importante: a estrutura familiar e o que a falta dela pode fazer.

A Ilha: Prisão Sem Grades trata disso. Adolescentes com problemas familiares ou pessoais são levados a uma “casa de reabilitação”, para que profissionais qualificados tratem dos problemas deles. Sophie (Mila Kunis) é uma dessas jovens. Seu pai morreu há muito tempo e sua mãe casou-se com um homem boçal que, segundo a garota, abusa dela constantemente. Cansada do teatro de Sophie, o padrasto decide mandá-la para esse “acampamento”.

Na verdade, o lugar nada mais é que um campo de concentração dominado por militares, onde estes jovens sofrem – por cerca de um ano – com seus conflitos expostos: cada um vem de uma família que desistiu de tratar do problema. Nesta ilha, eles são submetidos a diversos abusos e situações extremas, ameaçando seriamente sua sanidade mental. O nome original do filme, Boot Camp, diz muito sobre o lugar.

Ao longo do filme assistimos cenas de palestras de preparação para os pais que vão receber os filhos de volta: a mudança não deve vir só de um lado. O filme levanta uma questão interessante na sociedade moderna: em olhares menores, quantas pessoas geram um filho e o trazem ao mundo para em seguida largá-lo nas mãos de qualquer um? Quantas pessoas incubam um problema dentro de casa para que venha à tona na adolescência, desestabilizando uma base familiar? É realmente necessário levarmos nossos erros para outros profissionais consertarem: psicólogos, psiquiatras, nutricionistas, o que for? Eles são qualificados? Este filme tem uma motivação interessante. Vale (e muito) pelo aspecto psicológico.

Ficha Técnica

Título: A Ilha – Uma Prisão sem Grades (Boot Camp)
Diretor: Christian Duguay
Ano: 2008
Gênero: Drama
Duração: 99 minutos

Curiosidade: Os Boot Camps realmente existem e fazem parte do sistema de correção de jovens que cometeram o primeiro delito no EUA. O modelo deste tipo de punição é baseado nos campos de recrutamento militares e objetivam ensinar seus usuários a obedecer regras e respeitar hierarquias para então voltarem à sociedade. Estes campos de recuperação podem ser empresas privadas ou do próprio governo.

  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: