Arquivo

Posts Tagged ‘Lisa Cholodenko’

Minhas Mães e Meu Pai: para seus ouvidos

26/04/2011 Deixe um comentário

Calma, calma, eu sei que já escrevemos uma resenha sobre o Minhas Mães e Meu Pai, não estou louca nem cover da Kátia Cega. O que gostaria de destacar aqui é a trilha sonora desse filme; ela me surpreendeu bastante, e de maneira bem positiva. Tanto que achei que valia um post apenas sobre isso.

Pra começar, ela é mais extensa que o habitual, com 17 faixas. E de qualidade, que vão de musiconas da década de 70 a bandas indies recentes que causaram frisson na ceninha (e tem até brasileira). Bem raro encontrar um filme com uma trilha sonora nesses moldes ultimamente, hein. Eu gostei.

Mas chega de lenga-lenga, né? Bora ouvir!

(Se não estiver afim de ouvir uma por uma, há um preview da soundtrack aqui.)

1. MGMT – The Youth
Gênero: eletrônica, indie, indie pop
Detalhe: essa música tem um clipe bem bizarro
Origem: EUA

2. David Bowie – Black Country Rock 
Gênero: rock clássico, glam, 70s [essa música]
Origem: Inglaterra

3. Tame Impala – Sundown Syndrome
Gênero: indie, eletrônica, trip-hop
Origem: Austrália

4. Fever Ray – When I Grow Up
Gênero: eletrônica
Detalhe: projeto solo da vocalista do The Knife
Origem: Suécia

5. Leon Russell – Out In The Woods
Gênero: rock clássico, 70s [essa música]
Origem: EUA

6. Deerhoof – Milk Man
Gênero: indie, experimental, noise rock
Origem: EUA

7. X – The New World
Gênero: punk, 80s
Origem: USA

8. Uh Huh Her – Same High
Gênero: eletropop, indie
Origem: USA

9. David Bowie – Win
Gênero: rock clássico, glam, 70s [essa música]
Origem: Inglaterra

10. Quadron – Slippin’
Gênero: eletropop, indie
Origem: Dinamarca

11. Joni Mitchell – All I Want
Gênero: jazz, folk, 70s [essa música]
Origem: Canadá

12. CSS – Knife
Gênero: eletrônica, indie
Detalhe: essa música é cover de Grizzly Bear
Origem: Brasil

13. Ge-ology ft. Yukimi Nagano – Blues Alley
Gênero: jazz, eletrônica
Origem: Suécia

14. Gábor Szabó – Galatea’s Guitar
Gênero: jazz, guitarrista, música tradicional húngara
Origem: Hungria

15. Betty Wright – Good Lovin’
Gênero: soul, R&B
Origem: EUA

16. Deerhoof – Blue Cash
Gênero: indie, experimental
Origem: EUA

17. Little Dragon – Fortune
Gênero: trip-hop, banda da Yukimi Nagano
Origem: Suécia

Também temos mais duas músicas que não estão na soundtrack oficial, mas que tocam por lá:

Vampire Weekend – Cousins
Gênero: indie pop
Detalhe: vale a pena ver o clipe!
Origem: EUA

Tom Hirschmann – Tailgating
Nenhuma informação encontrada sobre o compositor. Alguém conhece ?


E aí, curtiram?

Minhas mães e meu pai

Minhas Mães e Meu Pai tinha tudo para ser uma comédia, mas assume um tom dramático em poucos minutos na tela. O filme trata de uma família não convencional composta de um casal de lésbicas e duas crianças, que passam a ter um novo integrante em suas vidas – o pai biológico.

Nic (Annete Benning) e Jules (Julianne Moore) estão casadas há quase 20 anos e conceberam seus dois filhos através de inseminação artificial. Joni (Mia Wasikowska, a Alice de Alice in Wonderland) é uma adolescente excepcionalmente inteligente e tímida que fez 18 anos e, dentro de um mês, vai se mudar para o campus da faculdade. Por lei, já tem idade para solicitar à clínica médica os dados do seu pai biológico, mas ela não quer fazer isso para não magoar suas mães. É Laser (Josh Hutcherson), seu irmão mais novo, quem implora para procurá-lo. Os dois levantam os dados e marcam um encontro para conhecer Paul (Mark Ruffalo), solteirão, dono de um restaurante e de sua própria horta de orgânicos – seu pai.

Depois de um primeiro encontro estranho – mas que flui muito bem – Paul começa a ver mais vezes seus dois filhos. Nic – controladora, líder e dona de si mesma – vê algo muito errado no homem que ameaça desestabilizar sua família. Jules, que inicia uma nova vida profissional como paisagista, tem como primeiro cliente Paul e a coisa desanda. As crianças estão bem, mas o pano de fundo é outro. O casamento e a família de Nic e Jules começam a sofrer com as interferências de Paul.

Julianne Moore traz fragilidade para sua personagem, e esta se encaixa muito bem na história, já que ela sofre com a falta de comunicação com sua esposa. Annette Bening, por sua vez, dá um show de interpretação com sua postura masculinizada, sempre tomando controle da família, orientando as regras dentro de sua casa. Mark Ruffalo não fica pra trás com o papel de homem auto-suficiente.

Minhas Mães e Meu Pai vai bem enquanto mantém os cinco em ligação, mas peca quando começa a deixar um dos integrantes pra trás. Seu olhar sobre a família moderna é válido, mas fica a lição de que – não importa a estrutura – a falha de comunicação acontece com todos, e pode arrasar lares.

Ficha Técnica

Título: Minhas Mães e Meu Pai (The Kids are All Right)
Diretor: Lisa Cholodenko
Ano: 2010
Gênero: Drama
Duração: 106 minutos

%d blogueiros gostam disto: